sábado, 24 de setembro de 2011

Saúde Bucal e o Programa Brasil Sorridente

Conheça mais sobre o Programa Brasil Sorridente e a atual situação da saúde bucal da população.

O Programa Brasil Sorridente é uma das estratégias do governo para melhorar a situação da saúde bucal dos brasileiros.

Apesar de muitos fatores biológicos serem essenciais para o surgimento de várias doenças, existem outros fatores que podem causar o seu aparecimento e expansão. Dentre esses fatores se destacam o desenvolvimento econômico, social e educacional do país, assim como a cultura e a tradição popular que define os hábitos e condutas pessoais e coletivas, seja de higiene ou não.

A cárie dentária, por exemplo, é uma das doenças de maior prevalência na odontologia, assim como as doenças periodontais, que apesar de preveníveis e de fácil controle, muitas vezes os objetivos de prevenção não são alcançados. Isso se dá porque a prevalência e a incidência dessas doenças ou patologias estão associadas a condições políticas, sociais, educacionais e econômicas, e não apenas a interações biológicas na placa bacteriana dentária.

Mas, atualmente, a situação do Brasil está favorável em relação ao problema com cáries, pesquisa recentes revelam que o país tem melhorado sua prevalência em cárie e higiene bucal. Desde 2003, com o Programa Brasil Sorridente, aumentou para 30% o número de crianças sem cáries no país, assim o Brasil conquistou uma excelente posição dentre os países com boa saúde bucal, das Américas.

A emergência de programas de saúde bucal nas Unidades Locais, como aqueles empreendidos por Secretarias de Saúde Municipais, assumem grande importância na medida em que procuram utilizar metodologias de educação como parte do processo de capacitação da população para melhorar sua saúde bucal. Entretanto, é necessário considerar os estilos de vida e as formas de viver das populações a quem são dirigidas as ações de saúde, pois no campo da cultura popular, os conhecimentos, os valores, as crenças e as práticas se vinculam com fatores biológicos, econômicos e sociais.

A saúde bucal, no Brasil, possui políticas e programas que garantem as ações e serviços para a redução dos problemas bucais, como a cárie, tanto em crianças quanto em idosos.  Um levantamento do Ministério da Saúde mostrou que a saúde bucal do brasileiro melhorou, reflexo do Programa Brasil Sorridente.

É considerada uma grande conquista para a história do país e um marco na história das políticas públicas no Brasil: A Política Nacional de Saúde Bucal – Brasil Sorridente, o que traduz seus pressupostos operacionais, os princípios do SUS.

O Programa Brasil Sorridente se insere no conjunto de programas estratégicos na atual política de saúde ao trabalhar os eixos da atenção à saúde bucal a partir do incremento da atenção básica por meio da Estratégia Saúde da Família, e a partir da implementação dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO).

O Programa Brasil Sorridente tem, em seus pressupostos “centrar a atuação na Vigilância à Saúde”. Sua agenda definida pelo Comitê Técnico Assessor (CTA) em Vigilância em Saúde Bucal tem trabalhado os diversos eixos da vigilância em saúde bucal que dão suporte ao Programa Brasil Sorridente. Entre estes, temos o relativo à geração de dados primários, ou seja, oriundo de pesquisas epidemiológicas de base populacional, os chamados "estudos transversais".

O Programa Brasil Sorridente passou a agregar dois novos serviços, que são: o tratamento com aparelhos e implantes dentários, além de vários serviços que já são oferecidos gratuitamente para a população. O governo investirá cerca de mais de 1 milhão de reais para a construção de novos CEOs, que são os Centros de Especialidades Odontológicas. Estão em funcionamento no país mais de 850 CEOs, sendo que a meta do Ministério da Saúde é chegar à mil até o final do ano de 2011.

Ao serem realizados estudos é possível constatar uma série de fatores que contribuem ou não para uma melhor saúde bucal. Em relação aos aspectos de escolaridade, os programas de educação a serem implantados junto às unidades sanitárias deveriam adequar o conteúdo à linguagem popular. Do mesmo modo, as alternativas apresentadas para melhorar a saúde deveriam ser viáveis economicamente, privilegiando ações de natureza coletiva e beneficiando o máximo de pessoas.

A percepção dos problemas bucais evidencia a cárie como doença de maior reconhecimento devido a dor que causa. Já doenças que não se manifestam tão intensamente não recebem a devida importância ou interesse da população ao tratamento, como é o caso de doenças periodontais.

O fato de um percentual significativo de pessoas dar maior importância a cárie dentária, há maior chance de controle, e maior possibilidade de ser evitada por meio do autocuidado e da visita ao dentista.

O uso do flúor é reconhecido como o melhor método de prevenção de cáries, apesar de ser constatado o uso de flúor por menos de 40% da população consultada.

Por fim, é importante considerar o fato dos serviços públicos de saúde terem como suporte uma política de saúde em nível nacional que contemple os esforços das unidades locais na promoção da saúde da população.

Fonte: InstitutoSalus.com

Compartilhe: